Postado em 25 de Setembro de 2017 às 11h31

Como celular e computador estão prejudicando a sua pele

Beleza (49)

Achou que o sol e a poluição eram os únicos inimigos de uma pele jovem e saudável? Pois enquanto estávamos preocupadas com os danos dos raios UV e UVA e fumaças urbanas, outro inimigo silencioso está prejudicando a saúde da sua pele: os celulares, tablets e computadores, aparelhos mais comuns no dia a dia.

“Geralmente associamos o aumento de pigmentação ou o envelhecimento da pele à exposição direta apenas aos raios solares. Entretanto, alguns estudos científicos têm comprovado que mesmo pessoas que dificilmente se expõem à luz solar direta podem ter suas manchas escurecidas, além de desenvolverem danos ao DNA das células da pele, tudo isso devido à exposição às luzes artificiais sem a devida proteção”, afirma Adriano Loyola, dermatologista e assessor do Departamento de Cosmiatria da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Luz violeta

E os gadgets podem estar conspirando para que sua pele envelheça mais rápido. Isso porque eles – assim como as lâmpadas LED - emitem luz violeta que é capaz de causar pigmentação da cútis e liberação de radicais livres.

“Estas telas emitem o componente azul da luz entre 380 e 500 nm também é conhecimento como luz visível de alta energia (HEV). Em particular, os comprimentos de onda azul violeta entre 380 nm e 440 nm são vistos como potencialmente prejudiciais e que podem levar a escurecimento da pele, melasma, e causar envelhecimento prematuro e rugas finas”, explica Adriano. As consequências da exposição à luz violeta podem ser mais cruciais ainda para quem já tem problemas de pigmentação, pele muito sensível ou clara.

Então mesmo para quem fica dentro de casa ou do escritório o dia todo, o uso de protetor solar é absolutamente necessário, já que ele ajuda a filtrar a luz violeta. “O ideal é manter a pele bem hidratada e aplicar filtro solar 30 minutos antes da exposição aos aparelhos”, recomenda Loyola.

No entanto, o protetor solar protege apenas da radiação ultravioleta e não do calor (radiação infravermelho), emitida pelos aparelhos, que também podem causar manchas. Quem costuma ficar muito ao telefone ou usar o computador no colo, deve tomar cuidado quando os aparelhos esquentarem. E se o dano já estiver feito? É possível reverter o quadro - se o caso não for o de melasma - com tratamento de peeling, laser ou luz pulsada. 

Text neck

Outro problema que Adriano aponta estar se tornando mais comum é o aparecimento de rugas no pescoço (uma área que já é geralmente mais esquecida na rotina de cuidados) devido ao hábito de abaixar a cabeça para escrever no celular ou tablet – o chamado “text neck”. A única forma de evitar as linhas, no entanto, é com reeducação postural. Quando estiver no computador, evite usá-o no colo e sempre tente suspendê-lo de forma que a tela esteja na linha dos olhos, evitando inclinação do pescoço.

Além disso, na hora de manusear os gadgets, o ideal é apoiar o braço sobre a mesa, evitando a tensão dos músculos, tendões, ligamentos e discos articulares. Quem já percebe linhas na região, no entanto, pode contornar o problema lançando mão de produtos e tratamentos que estimulem a produção de colágeno, como ácido hilaurônico, radiofrequência e lasers, sugere o dermatologista.

Fonte: Revista Marie Claire

Veja também

Cuidados e tratamentos de varizes27/10/17 Entre os mitos sobre a causa de varizes estão, além do salto alto, a depilação com cera quente e roupas justas. Salto alto provoca varizes: culpado ou inocente?  O salto não causa, mas pode agravar as varizes, se somado aos fatores de risco. As varizes e os vasinhos são veias das pernas incapazes de retornar o sangue para o coração por......
5 hábitos que fazem mal para a pele do rosto05/03/18 No nosso dia-a-dia existem alguns costumes que às vezes que podem influenciar negativamente na saúde da nossa pele. Confira quais são as 5 piores atitudes que você pode ter que interferem na saúde do rosto: Espremer......
Outubro Rosa: autoestima influencia no tratamento de câncer22/10/18 Segundo o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), estão sendo estimados 57.960 novos casos de câncer de mama este ano no Brasil. Em sua maioria, entre as mulheres, com 14.206 ocorrências, contra 181 por......

Voltar para (NOTÍCIAS)